domingo, 8 de janeiro de 2012

Hoje é o Dia Nacional do Yaoi, e como vocês sabem, a temática do blog não é esta (mesmo que a autora goste muito). Porém acho que escrever sobre algo mais leve, que ajude alguém que está indeciso em qual material BL começar a ler, mesmo que apenas por curiosidade, não seja tão má ideia. Por isso resolvi postar sobre Takarai Rihito, que mesmo com seus poucos mangás, já consegue garantir um sorrisinho no rosto com ausência de cenas explícitas.

Primeiramente gostaria de deixar claro que dois de seus trabalhos mais famosos, Seven Days e The Sleepy Residents of Birdcage Manor (não-Yaoi, porém um shoujo psicológico bastante recomendado), não são de sua autoria. Logo percebemos que essa autora se tornou bastante famosa por seu traço e execução de suas estórias.

Ela faz parte do círculo de doujinshis Giga Traper, e é conhecida com seus DJs de The Prince of Tennis. Irei comentar seus dois mangás BL.

SEVEN DAYS

Eu já havia comentado aqui antes sobre Seven Days, mas irei fazer de uma forma resumida agora. O autor/autora original é Venio Tachibana, que já teve outro trabalho feito por outro autor, que é Girou no Koimizu, desenhado por Tooko Miyagi, ambas publicadas em 2007.

Seven Days é ambientado nos tempos atuais, em uma escola qualquer no Japão, e seus protagonistas são garotos bem normais, o que dá um certo há de realidade à estória, mas que não o faz perder seu tom ficcional. Seryou é um garoto belo e popular, mas que esteve procurando pelo amor verdadeiro de uma forma bem peculiar: à cada semana, ele sai com uma garota diferente. Isto é, sempre há uma nova confissão para ele, e ele dá uma chance à quem a fizer, tudo para encontrar o seu par. Já com esperanças fracas, Shino Yuzuru, acaba perguntando se Seryou poderia começar a sair com ele, e ambos o fazem, mesmo que tudo tenha começado a partir de uma brincadeira.

Mesmo um pouco desacreditado, Seryou dá uma chance à Shino, e ambos vão ficando cada vez mais próximos. É aquele bom e velho mangá que nos dá vontade de torcer para os dois, e que dá certas saudades quando acaba, fazendo com que todos desejemos que a semana tivesse 20 dias (ou mais? xD)... eu super-recomendo para quem está começando a conhecer o mundo Yaoi, e não quer se assustar... é um mangá gostoso de se ler, o traço de Rihito combina bastante com o clima, é tudo bem limpo e há aquele ar de que a autora gostou de ter trabalhado na estória.

HANA NO MIZO SHIRU, Only the Flower Knows

Esse é um trabalho original de Takarai Rihito, e aproveitando, ela também teve outro trabalho original, porém de conteúdo não-yaoi. Mas só para não passar em branco, trata-se de um mangá de teor sobrenatural chamado Kakemakumo, Kashikoki. Temos um ar mais maduro presente, mas não o bastante para que seja considerado especificamente uma obra adulta. Estamos em uma universidade agora, e há muito de botânica no mangá, com várias referências à flores. Temos várias coincidências no começo, e um grande número de mal entendidos, mas é tudo executado de uma maneira que não parece cansativa, que chega a lembrar alguns mangás que não são dessa autora, apesar de serem leves semelhanças.

Aqui nós somos apresentados aos dois protagonistas, Arikawa e Misaki, já com breves coincidências. Ambos se encontram ao acaso e no mesmo dia o fazem de novo. Arikawa estava comentando sobre Misaki com seu colega, e acaba encontrando-o na rua no mesmo momento, só que sem perceber, já que suas lentes de contato não eram de um tamanho adequado, forçando-o a enxergar tudo borrado, e com isso acaba ajudando-o sem se dar conta, e logo no mesmo dia se esbarram de novo, ainda com as tais lentes. E com esse evento, o colar de Misaki vai parar nas mãos de Arikawa, e assim tudo se desenrola, com direito à Arikawa ajudando-o futuramente. Esse número de coincidências podem deixar a obra um tanto descondizente com a realidade, mas o mangá em si é muito bom. E o clima agradável que a autora passa são frutos de seu traço assim como de sua própria estória. Resumindo, este é um mangá que pode ir melhorando com o tempo, conforme a personalidade dos protagonistas for sendo traçada.

Visitem a página pessoal de Takarai Rihito clicando aqui.

Conheçam e leiam as outras postagens e fanfics do Dia Nacional do Yaoi aqui e visitem o Blyme para mais informações!

E mais importante, não deixem de espalhar a alegria desse dia tão bonito que é hoje! XD

Que tal presentear a si mesmo/mesma com uma boa limonada e um bom BL? ;D

Minhas felicitações para esse dia e também desejo-os um feliz ano novo. Espero que tenhamos mais trabalhos da Rihito-sensei como também de outros autores, não só publicadas no Japão, como também no exterior, mas principalmente aqui no Brasil. Espero que consigamos antingir um bom número de obras licenciadas no país... eu espero... do fundo do coração ç.ç...

1 comentários:

Sarah disse...

Quem não gostaria de ter trabalhado em Seven Days, né? Hahaha.

Apesar desses mangás terem climas diferentes, não sei dizer qual meu favorito. Os dois são muito bonitos.

E é até estranho, popular como ela é, de seu outro mangá ainda não ter sido traduzido pelos fãs.

 
Virtual Meinsanity Diseñado por Wpdesigner y adaptado por Zona Cerebral